Archive for the ‘Lixo’ Category

O Alcance de Nossas Ações

O Alcance de Nossas Ações

coleta-de-lixo-comeca-a-ser-normalizada

Os impactos que geramos com o nosso lixo não se referem somente aos aterros e lixões. Não nos damos conta que esse material precisa chegar lá de alguma maneira, e isso é feito por caminhões, movidos a diesel e altamente poluentes.

Não vamos nem entrar no mérito de que as empresas de coleta fazem grandes lobbies e ganham fortunas das prefeituras, alguns aterros são privados e ganham por volumes recebidos.

Por que isso acontece?

Por que geramos cada vez mais lixo, esse material em alguns municípios é enviado a mais de 200 km de distância, gerando impacto dobrado.

O que podemos fazer?

O mínimo: comprar produtos que utilizem menos embalagens, gerar menos lixo e principalmente, destinar menos lixo a coleta pública, separando o material para a coleta seletiva e realizando a compostagem do material orgânico. É bem mais simples do que acreditamos e existe muita informação na internet.

O que falta para começar??

Apenas vontade!

http://www.agora.uol.com.br/saopaulo/2015/09/1687334-lixo-de-cidades-paulistas-viaja-ate-224-km-ate-aterro.shtml

 

Renato Munhoz – renato@condominiosimples.com.br

21-99432-2321

CARNAVAL – Caia na folia de forma consciente

Caia na folia de forma consciente

 

carnaval-3

 

Pequenas atitudes podem garantir um carnaval alegre, seguro e socialmente responsável

Carnaval é tempo de alegria. Mas a irreverência, marca principal da festa, não é desculpa para se esquecer de algumas atitudes socialmente responsáveis. O consumo consciente não diz respeito apenas a atitudes com relação ao próximo e ao planeta. Cuidados com a saúde e com a segurança próprias também estão relacionados ao consumo consciente.

 

Abaixo algumas dicas para brincar muito – conscientemente.

 

  • Não deixe seu lixo por aí. Leve uma sacola ou mochila na qual você possa armazenar o lixo que produzir até conseguir uma lixeira para descartá-lo.
  • O Carnaval é marcado por uma verdadeira explosão de criatividade. Tanto no desfile das escolas de samba, passando pelos bailes carnavalescos e pelos blocos de rua, as cidades são tomadas por fantasias criativas e irreverentes. Mostre que você é mais criativo ainda. Utilize materiais biodegradáveis na confecção de sua fantasia.
  • Se for viajar de carro, vistorie seu carro. A medida pode trazer ganhos para seu bolso e para o meio ambiente, além de maior segurança nas estradas.
  • Brincadeiras com água, como molhar os foliões com mangueiras, é coisa de outros carnavais – literalmente. A estiagem é coisa séria, que não pode ser desconsiderada nem mesmo no Carnaval.
  • Tenha paciência. Afinal é Carnaval. Perca alguns minutos nas filas dos banheiros químicos. A sua cidade agradece.
  • Se for viajar, respeite o lugar que o acolhe, seja preservando a natureza e respeitando os costumes e a cultura locais.
  • Fique atento para não perder seus documentos. Leve apenas o básico, como carteira de identidade ou de motorista.
  • Cuide-se de si mesmo: prefira comidas leves, beba muita água e sucos e aproveite para se desligar dos problemas.

 

Resumindo: seja feliz!

 

Renato Moreno Munhoz

21-97932-1878

Dia Mundial do Meio Ambiente

Dia Mundial do Meio Ambiente

 

Essa é uma data que serve mais para a reflexão do que para comemoração, estamos revertendo o processo que levou a tona toda essa discussão? Ou ainda soa tudo como modismo e que nossa missão é  simplesmente jogar nosso lixo na lixeira colorida correta?

Está na hora de incorporarmos no nosso dia-a-dia atitudes que realmente façam a diferença, e não somente uma meia dúzia de cidadãos, mas a grande massa. Parece que o que fazemos é pouco e muitas vezes deixamos de fazer pelo mínimo impacto aparente, mas sensíveis quando somados aos milhões de domicílios com as mesmas atitudes.

Cada quilowatt economizado, seja por um banho de 1 minuto a menos, um carregador de celular retirado da tomada, uma lâmpada apagada, reflete em centavos de economia individual, porém se multiplicados, poderíamos poupar o despejo dos índios de Belo Monte, desativar as usinas nucleares e ainda evitar a necessidade de ativar as termelétricas, caras e poluentes.

O mesmo se aplica ao lixo gerado e ao desperdício, estudos dizem que as famílias brasileiras desperdiçam aproximadamente 20% dos alimentos comprados, isso não significa somente que muitas pessoas poderiam ser alimentadas, mas também que foram necessários 20% mais caminhões para transportá-los, gerando engarrafamentos, 20% a mais de poluição, 20% a mais de consumo de derivados de petróleo e o produto possivelmente 20% mais caro.

Precisamos ter uma visão abrangente e entender que qualquer pequeno gesto, quando adotado pelo coletivo, gerará resultados surpreendentes.

Eu sou um grande defensor de que o Estado deve tomar ações mais rígidas em relação geral ao Meio Ambiente, com leis e incentivos fiscais para a manutenção de áreas verdes, margens de rios, coleta seletiva, controle de emissões de poluentes no ar e água, políticas inclusivas de valorização de cooperativas e catadores e principalmente nos prédios, condomínios residenciais e comerciais, onde os ganhos serão realmente expressivos.

Hoje a Comlurb anunciou que aumentará a coleta de materiais recicláveis no Rio de Janeiro para 5% com a inclusão de novos caminhões, mas será que existe infraestrutura para realizar a separação desse material? E também que pretende chegar a 25% até 2016. Medida louvável, mas difícil de acreditar que esses números sejam alcançados de forma plena, garantindo a destinação correta e reaproveitamento de todo esse material. Também não ficou claro se nessa conta entram as ações das cooperativas e catadores. Agora é esperar para ver…

Cada um de nós pode ajudar, fale com o seu síndico, seu vizinho, seu amigo, crie comissões de sustentabilidade no seu condomínio, rua ou bairro. As informações que temos já são mais do que suficientes, basta vontade e arregaçar as mangas. 

Tem uma ação em andamento em sua comunidade? O Blog Condomínios Sustentáveis terá o prazer de divulgar as iniciativas e estimular a adesão de mais e mais pessoas à nossa causa.

Feliz Dia do Meio Ambiente!

Renato Munhoz

renato@condominiosimples.com.br

 

 

Ser Sustentável, como começar?

Ser Sustentável, como começar?

 

 

Muitos síndicos se perguntam? Como posso começar a realizar ações de sustentabilidade no meu condomínio? Não tenho conhecimento técnico, o orçamento é apertado, o que posso fazer?

Talvez o começo seja um pouco mais fácil ou mais difícil para alguns, a depender de verba e outras características do prédio, mas não vamos desanimar, independente de qualquer situação, sempre é possível implementar algumas ações de sustentabilidade, sejam em maior ou menor graus.

Existem medidas que dependem dos moradores, algumas que só dependem de boa vontade e outras que precisa de um pouco de esforço mútuo.

Lembre-se que toda mudança de hábito só é possível com bons exemplos e honestidade, ou seja, faça sempre o que prometeu fazer e mostre os resultados.

 

O que é mais fácil e pode começar já?!

  • Troca das torneiras e válvulas de descarga dos banheiros das áreas comuns. Depende só do síndico.
  • Instalação de sensores de presença e troca das lâmpadas incandescentes por eletrônicas. Depende só do síndico.
  • Coleta seletiva. Depende de apoio dos moradores na separação dos materiais, o papel do síndico é garantir que o material separado tenha a destinação prometida, seja ela o catador, a cooperativa ou a venda.

 

A sugestão é começar de forma simples, se falta espaço para armazenar o material reciclável, faça inicialmente somente a coleta de latinhas, óleo e jornais, divulgue as conquistas em comunicados internos, a tendencia é crescer muito a adesão de moradores.

Além disso, outras ações podem ser tomadas, como desligar as lâmpadas que não estão em uso, fazer a revisão periódica dos painéis elétricos, evitar desperdícios de água na limpeza de cisternas, economizar material de limpeza, inspeção de vazamentos de água em apartamentos e áreas comuns etc.

Bom síndicos, mãos a obra, vamos fazer acontecer!

 

Renato Moreno Munhoz

renato@condominiosimples.com.br

Menos dois lixões no Estado do Rio

 

Mais um avanço para a desativação de todos os lixões do Estado, o INEA (Instituto Nacional do Ambiente) aprovou o encerramento das atividades dos lixões de Barra Mansa e Itaguaí.

Agora estão previstas as coberturas do lixo existente, drenagem do chorume, monitoramento e vigilância.

Com isso são 57 os lixões desativados, porém existem outros 37 ainda ativos.

 

Renato Moreno Munhoz

Ecofaxina: Condomínio limpo sem produtos químicos

Ecofaxina: Condomínio limpo com o uso de menos produtos químicos.

 

É possível mesmo nas áreas comuns dos condomínios a redução do uso de produtos de limpeza químicos e gradualmente  substitui-los por produtos naturais, mais baratos, não nocivos à saúde, com menos agressão ao meio ambiente e ainda assim com a mesma qualidade de limpeza.
Se engana quem acha que para se livrar dos germes é preciso um arsenal de produtos químicos. Confira algumas dicas para quem quer manter seu condomínio e casa limpas e sem agredir o meio ambiente.

 

Vaso Sanitário

Para deixar o vaso branquinho e livre dos germes, basta adicionar meia xícara de vinagre a uma colher de sopa de bicarbonato de sódio. Aplique essa mistura no vaso sanitário, deixe agir por 30 minutos e depois é só esfregar bem. O ideal é fazer esse tipo de limpeza uma vez por semana.

 

Azulejos

Para remover o limo dos rejuntes de azulejos do banheiro, aplique uma boa quantidade de vinagre branco puro com uma escova de dentes velha. Deixe-o agir durante duas horas e, depois, lave a superfície apenas com água. A acidez do vinagre quebra moléculas de gordura e também mata bactérias e mofo.

 

Ralos

Fios de cabelo são uma das causas mais comuns do entupimento de ralos no banheiro. Para desobstruir a passagem da água, primeiro retire todos os detritos visíveis. Então, derrame ¾ de xícara de bicarbonato de sódio do ralo seguida de meia xícara de vinagre. Lembre-se de tampar o ralo imediatamente com um pano, pois a reação dessas duas substâncias produz uma efervescência. Deixe a solução agir por 30 minutos e então jogue água fervente.

 

Pia

Misture duas xícaras de bicarbonato de sódio, meia xícara de sabão caseiro, uma xícara de água e meia xícara devinagre e aplique na pia. Para polir as torneiras, use uma solução com partes iguais de bicarbonato de sódio evinagre, enxaguando em seguida.

 

Espelhos

Use um pano sem fiapos e água quente. Se tiver muitas manchas de pasta de dente, use uma solução com partes iguais de vinagre e água. Espirre sobre a superfície e depois seque com um pano. Essa mistura também pode ser usada para limpar janelas e qualquer superfície de vidro.

 

Chão

Adicione meia xícara de bicarbonato de sódio e um pouco de suco de limão a um balde de água quente. Outra opção é utilizar meia xícara de sal dissolvido em um balde de água morna. Aplique essa solução com um esfregão e, depois, enxágüe normalmente.

 

Por fim, para deixar um cheirinho bom no ar nas áreas comuns, como portaria, recepção e corredores, borrife uma solução de cravos-da-índia no ambiente. É só misturar álcool a um punhado de cravos. Mas, antes de utilizar, é preciso deixar essa mistura descansar por alguns dias. Além de perfumar, o aroma afasta os insetos.

 

Depois desta ecolimpeza, seu condomínio vai ficar um brinco e com um cheirinho super agradável. Comece agora mesmo!

 

Fonte: Pesquisa de Informações no site O Eco.

 

***************************************

Renato Munhoz – 21-9432-2321

www.twitter.com/c_sustentaveis

https://condominiossustentaveis.wordpress.com

O caos de descarte do lixo carioca

O caos de descarte do lixo carioca

Renato Munhoz

 

 

 

Li a repostagem do jornal “O Globo” sobre a radiografia do lixo descartado pelo carioca e um fato me impressionou muito, somente 3% de todo o lixo da cidade é reciclado.

O que chamou mais a atenção é que a cidade que logo sediará a Rio+20 e a sua empresa de coleta, a Comlurb, recicla 0,27%, isso significa que diariamente ela separa e deixa de enviar aos aterros apenas 23 toneladas, enquanto outras 8.128, isso mesmo, oito mil, cento e vinte e oito toneladas seguem para o aterro de Gramacho. O restante, 2,73% ou 252 toneladas são recolhidas e separadas por cooperativas e catadores.

Considerando que 55% de todo o lixo, 4.621 toneladas são de origem residencial, mostra que temos muito o que fazer e muito a reivindicar.

O importante é fazermos a nossa parte, separar o lixo, reinvindicar uma nova e eficiente política de resíduos e estimular a criação das cooperativas, fazendo a renda do lixo circular entre aqueles que realmente dependem dele, porém de forma digna.

No meu condomínio fazemos toda a separação dos materiais e uma vez por mês é recolhido e vendido esse material, na média deixamos de descartar 1 tonelada de lixo por mês, parece uma gota no oceano, mas se cada um fizer a sua parte, teremos resultados enormes.

Com base no dados do IBGE de 2010, existem no Rio de Janeiro, 2.083.817 domicilios ocupados.  Uma conta simples, comparando os dados do meu condomínio, com 96 unidades habitacionais e arrecadação média de 340 gramas por apartamento por dia e considerando apenas os materiais sólidos, a coleta e reciclagem poderia saltar das 285 toneladas atuais para pelo menos  723 toneladas, ou 15% de todo lixo domiciliar. Isso quase triplica a quantidade diária e significaria um aumento importante na vida útil dos aterros públicos.

Aos síndicos e administradores digo que é essencial que deixem de ver a questão do lixo como somente mais um trabalho e visualizem o impacto que cada embalagem destinada indevidamente será  um passo a mais para o fim da vida útil dos lixões. Esse mesmo material poderia se transformar em um novo, gerando ainda renda extra aos que mais precisam, inclusive aos funcionários do próprio condomínio.

Parece que o poder público está longe demais de conseguir resolver esse problema, afinal de contas está sendo feito um novo aterro em Seropédica para depositarmos o nosso lixo por mais alguns anos, associado ao lobby das empresas de coleta de lixo terceirizadas, tem muita gente ganhando com isso, mas e o meio ambiente? E o nosso futuro?

 

Renato Munhoz

www.twitter.com/c_sustentaveis

condominiossustentaveis@gmail.com

 

 

Aumento de 186% no volume diário de material reciclável

O trabalho intenso de conscientização dos moradores do nosso condomínio sobre a importância de separação do material reciclável seco do orgânico deu enorme resultado com aumento de 186% na quantidade diária de material arrecadado, de 6,1 kg para 17,45 kg.

Acreditamos que podemos ainda mais e não vamos relaxar, as nossas ações evitam que mais de 530 quilos de lixo sigam para o aterro sanitário todos os meses, além de contribuir para aumentar a renda dos funcionários da limpeza.

condominiossustentaveis@gmail.com

Twitter: @c_sustentaveis

Educação Ambiental em condomínios

Educação Ambiental em condomínios

Por Aline Cristina Arruda

www.liarruda.wordpress.com

Moramos em uma cidade com 18 milhões de habitantes, uma das maiores metrópoles do mundo responsável por 33,9% do PIB Brasileiro, o maior centro comercial da América Latina.

A cidade de São Paulo, como a maioria das cidades brasileiras, cresceu sem planejamento e o tempo é algo precioso nessa cidade que não pára. Pensando em ações simples e rápidas para condomínios sustentáveis, pequenas ações para fazer a diferença.

Agir sustentavelmente é algo necessário para o desenvolvimento das cidades e do Planeta. O lixo é uma das maiores questões e pode ser reduzido com atitudes como coleta seletiva, minhocários. Atitudes como economia de energia e água e principalmente, o consumo são grande aliadas da sustentabilidade.

Falaremos de algumas ações que podem ser executadas por qualquer pessoa em qualquer moradia (casa, apartamento):

1.Coleta Seletiva: A coleta seletiva já faz parte da rotina de 59% da população paulista. A separação de reciclagem e não reciclável já faz parte da rotina de muitos paulistas. Algumas dúvidas sempre surgem, sendo abaixo segue uma tabela do Instituto Akatu esclarecendo o que recicla e o que não recicla.

Faço duas ressalvas a tabela acima. A primeira é em relação ao lixo eletrônico e lâmpadas. Ambos têm uma destinação diferente. Para a correta destinação do lixo eletrônico, verifique no site: http://www.e-lixo.org/. Tem um mapa de São Paulo com os locais de coleta. Vale ressaltar aqui que o descarte incorreto desses materiais pode ocasionar a poluição do solo, águas, etc.

Já as lâmpadas, o Supermercado Pão de Açúcar possui ponto de coleta. Lâmpadas, assim como eletrônicos são prejudiciais ao Meio Ambiente se descartada incorretamente.

Mais informações sobre o descarte de lixo doméstico: http://oquefazercomolixo-thi.blogspot.com/

A segunda é sobre o isopor. Isopor é reciclável e deve ser acondicionado junto com o plástico. Já temos empresas no mercado especializadas em reciclagem de isopor.

2.Minhocários: trata-se de caixas com minhocas, terra e húmus na qual se despeja o lixo orgânico e cobre com folhas secas. As minhocas realizam a decomposição dos resíduos e como resultado tem-se o chorume que é um excelente fertilizante para as plantas. Não tem cheiro nenhum. Moro em um apartamento e tenho o meu minhocário. Meu lixo reduziu consideravelmente.

A Morada da Floresta vende o minhocário pronto, e entrega em casa com manual de instrução e tudo. É só começar a usar: http://www.moradadafloresta.org.br/produtos-principal/minhocarios-domesticos

3.Economia de Energia e Água: diminuir o tempo de banho, desligar a torneira ao lavar a louça e ligar para enxaguar, evitar deixar as luzes ligadas durante o dia, os eletrodomésticos na tomada quando não estiverem em uso, são algumas atitudes que podem fazer a diferença.

4.Redução do Consumo: resíduo bom é resíduo não gerado. Pensar na hora de consumir, priorizar produtos que tenham menos embalagens, pensar antes de consumir, dar preferência a alimentos orgânicos (que além de sustentáveis por não usarem agrotóxicos e não poluírem o solo e o lençol freático, fazem muito bem a saúde), fazer compras em comércio próximos à sua residência valorizando o comércio local, usar mais transportes públicos e menos carro, etc. O Instituto Akatu tem diversas dicas relacionadas a Consumo Consciente até um manual. Moda já é sustentável, usam-se tecidos sustentáveis e resíduos de plástico e papel.

Mais informações: http://www.akatu.org.br/

Elevadores são ótimos lugares para folhetos informativos sobre reciclagem, composteiras, economia de energia e água. Se o seu condomínio tiver um jornalzinho vale a pena escrever sobre atitudes sustentáveis.

Educação Ambiental não é restrita a escola, a cursos, mas uma conversar com os amigos, com a família, ensinar seus filhos de uma forma divertida, explicar para as crianças a importância de cuidar das suas coisas, da casa, do bairro, da cidade e do mundo. Somos multiplicadores de opinião, idéias, valores.

Eu tento não ser a eco chata que sempre fica falando de meio ambiente, mas sempre que posso passo algum conhecimento para meus amigos, sobrinhos e família. Usar as redes sociais, os meios de comunicação (emails, jornais do condomínio) para educar.

E sem nunca esquecer das eleições, de conhecer os candidatos e seus planos de governo, e não só os cargos executivos mais os legislativos (Deputados e Senadores), pois são eles que criam e votam as nossas leis.

Eu acredito nas leis para solucionar problemas em curto prazo e Educação em longo prazo. Qualquer pessoa pode começar a qualquer momento. E não podemos deixar de cobrar ações de nossos governantes. De um em um, só em São Paulo somos 18 milhões.

Contribua você também com artigos, ideias e sugestões!

Condomínios Sustentáveis

condominiossustentaveis@gmail.com

Twitter: @c_sustentaveis

Desmistificando o Lixo e a Coleta Seletiva

A maioria de nós vê o lixo como algo sujo, mal-cheiroso e considera que lixo  é tudo aquilo que vai para o caminhão de lixo. Isto, é preconceito.

Na verdade existem vários tipos de lixo, e precisamos aprender a reconhecê-los e separá-los se pretendemos diminuir a quantidade de lixo que segue para o aterro.

Para que se tenha uma ideia do tamanho do problema, o aterro de Gramacho, que recebe o lixo da cidade do Rio de janeiro, existe há 30 anos, passou a metade desses anos na condição de lixão, e recebe mais de 8.000 toneladas de resíduos sólidos por dia. Além disso, está com sua capacidade esgotada e existe o risco do chorume, produzido pelo lixo contaminar a Baía de Guanabara!

No entanto, poucos de nós nos preocupamos com isto. Ao contrário, muitos acham que é muito complicado e trabalhoso separar o lixo e encaminhá-lo para a reciclagem, mas não é.

Primeiro separa-se o lixo seco  do lixo úmido. Feito isto, é só identificar o que é reciclável e o que não é.

Há alguns materiais que são recicláveis, porém aqui no Brasil ainda não temos tecnologia para fazê-lo como é o caso das fraldas descartáveis, para nós brasileiros, elas continuam sendo não recicláveis.

Vejamos então o que  é reciclável:

Papel

Papéis, papelão,  Tetra pack (caixinhas de suco e leite), jornais, revistas;

Não recicláveis: fita crepe, papel carbono, fotografia, papel-higiênico, papéis metalizados (embalagens de petiscos), papéis plastificados, papel de fax;

Metal

Lata de Alumínio, Latas de alumínio, Latas de aço: óleo, sardinha, molho de tomate,Ferragens, Canos, Esquadrias e arame.

Não Recicláveis: Clipes, Grampos, Esponja de aço, Latas de tinta ou veneno, Latas de combustível, embalagens metalizadas de remédios.

Plástico

Tampas, Potes de alimentos, PET, Garrafas de água mineral, Recipientes de Limpeza, Higiene, PVC, Sacos plásticos, Brinquedos, Baldes.

Não Recicláveis: Cabo de panela, Tomadas, Adesivos, Espuma, Teclados de computador, Acrílicos.

Vidro

Potes de vidro, Copos, Garrafas, Embalagens de molho, Frascos de vidro.

Não Recicláveis: Planos, Espelhos, Lâmpadas, Cerâmicas, Porcelanas, Cristal, Ampolas de medicamentos

Depois de separados, esses materiais recicláveis devem ser limpos, apenas com aquela água que está na pia,  ou passa-se uma água para tirar o excesso de sujeira, não é preciso lavar com muita água ou detergente, caso contrário, estaríamos desperdiçando água.

Agora que aprendemos a identificar e encaminhar para o destino certo o que é reciclável, é necessário nos reeducarmos, mudar os hábitos e colocar em prática a reciclagem, começando pela nossa casa. Converse com amigos, treine seus funcionários, porque diminuindo a quantidade lixo que vai para o aterro sanitário, estaremos contribuindo muito para que nossos filhos e netos vivam em uma cidade mais limpa, saudável e consequenteente em um mundo sustentável.

É muito importante ressaltar que o lixo não deixa de existir depois que o jogamos fora, muito menos a nossa responsabilidadde. Desse modo, devemos agir  para que aconteça sua reinserção na cadeia de reciclagem ou para que  seu ciclo de vida aumente.

Mais do que isto, precisamos pensar antes de comprar. Lembrar do resíduo que será gerado. Quase a metade do que compramos, é lixo, quase tudo embalagem que não serve para nada, que só faz aumentar a montanha de restos imortais que geramos.

São os 3R’s tão famosos: Reduzir, Reutilizar e Reciclar. Vamos, como pessoas de bem,  praticar os dois primeiros R’s: reduzir e reutilizar.

No tocante à reciclagem, devemos separar o lixo que produzimos e trabalhar para implementar  alternativas de destinação ecologicamente corretas, conforme a  realidade da nossa localidade .

Twitter: @c_sustentaveis
%d blogueiros gostam disto: